FMCSV

Eleições e Primeira Infância

Não dá para esperar mais quatro anos
De cada 10 crianças que moram no Brasil, 6 vivem na pobreza.
A mortalidade infantil voltou a crescer, após 15 anos de queda ininterrupta.
A cobertura vacinal no país vem caindo, o que ameaça a erradicação de doenças como o sarampo e a poliomielite.

O problema da creche no Brasil vai além da falta de vagas: as crianças precisam de educação de qualidade. Creche ruim é prejudicial para o desenvolvimento infantil.

Esses são apenas alguns dos muitos fatos que mostram a urgência do tema e provam que a infância precisa ser tratada como prioridade nas eleições deste ano. Por isso, estamos empenhados em fazer com que os candidatos conheçam e se comprometam com as pautas a favor das crianças pequenas e de suas famílias, principalmente as mais vulneráveis.

Também elaboramos um guia para estimular e qualificar a cobertura jornalística durante o processo eleitoral.  Reunimos informações importantes sobre saúde materno-infantil, assistência social, segurança, educação infantil, entre outros temas, e destacamos ideias que podem embasar perguntas para os candidatos em entrevistas, além de servir como ponto de partida para reportagens sobre políticas públicas voltadas às crianças de zero a seis anos.

Nosso objetivo é fazer com que a primeira infância receba a atenção que merece, tanto pelos candidatos, em seus planos de governo, quanto pela imprensa brasileira, que pode questionar e pressionar para que as nossas crianças sejam vistas pelos governantes como prioridade. Afinal, desenvolver a criança é desenvolver a sociedade.